domingo, dezembro 06, 2015

A inveja

Poucos sentimentos há mais negativos do que a inveja. Individual e colectiva. Que se apropria de tudo, desde o futebol, à política, passando pelos amigos e pela família. A norma básica deste defeito assenta no princípio de que "se eu não tenho os outros também não devem ter" ou noutra versão "se ele têm porque é que eu não hei-de ter". E deste modo compara-se o que não é comparável e raramente se analisa o que leva a que um possa ter e o outro não.
Há dias escrevi noutro blog um post sobre as diferenças existentes entre quem, numa mesma instituição, tem direitos diferentes no que respeita à saúde. Tirando escassos comentários, a maioria assentava na justificação de que aqueles que tinham acesso à ajuda na doença eram funcionários públicos e os outros que também lá trabalhavam não. Ou seja, nós não somos, dentro duma mesma instituição, iguais no acesso à saúde. Para sermos iguais teriamos que nos arregimentar todos na administração da nação.
Depois seguia-se a habitual desculpa dos privilégios de alguns - a inveja doía porque se todos os tivessem ninguém reagia - e as críticas ferozes que tal originava.
Que bom seria que todos fossemos iguais desde que despendêssemos iguais esforços. Acontece que na vida não é assim. Há os ambiciosos, os trabalhadores e os ociosos. E, claro, nem todos podem ter iguais retribuições. Isso seria injusto e só estimularia a preguiça. Felizmente que nem todos somos iguais, apesar da inveja que isso provoca!

HSC 

7 comentários:

Anónimo disse...

"Ao pé de um invejoso nem a erva medra."
Sentimento muito mau e que pode conduzir a atitudes maquiavélicas a quem o possui.É uma energia tão negativa,que se sente no ar as vibrações ao pé de pessoas assim.O afastamento é essencial pois elas precisam cuidar-se e/ou de tratamento.E a maior parte das vezes têm um jeitinho manso,enganador...
Rezo por essas pessoas e só desejo que um dia mudem para melhor,aprendam que isso não leva a nada.
Felizmente que existem as pessoas solares e/ou de luz,essas sim,são as com quem devemos interagir.Aliás é esse o "trabalho" de quem tem luz - mudar os outros para melhor,iluminá-los.
Luz.

Helena Sacadura Cabral disse...

Tem toda a razão!

Madalena Ferreira disse...

Olá,

Dra.Helena, comentei o post do outro blog e no meu caso - inveja não!
Este horrível sentimento, não faz parte do meu ADN.

No caso dos outros comentários, pareceu-me também não existir. Talvez eu esteja a ser ingénua!?
Dou o benefício da dúvida, mas fiquei triste por perceber que a sra. assim o entendeu.
No meu caso e só no meu caso, comentei um benefício que ADSE dá a quem tem direito e desconta para tal.

Tomei conhecimento que faz hoje anos - Parabéns!

Um dia feliz e que se repita,

Ana Matos disse...

Igualdidade de oportunidades, era o que todos os seres humanos deviam de ter ...

Helena Sacadura Cabral disse...

Madalena
Não seja ingénua. Todos devíamos descontar para um mesmo SNS e ter direito aos mesmos tratamentos. Era o que teríamos se tivéssemos igualdade de oportunidades. Nessa altura trabalhar para o Estado ou para o privado não faria qualquer diferença.
No actual sistema até quem é funcionário público possui benefícios diferentes consoante o ministério ou o serviço onde se encontra inscrito.

Madalena Ferreira disse...

Olá,

Dra.Helena, subscrevo totalmente o seu comentário, ao meu comentário. Também é assim que eu penso - logo não sou ingénua!

No entanto, parece-me que não foi isto que se comentou, foi sim uma situação muito diferente!

Passamos à frente, atrás vem gente - até porque,como disse não me senti atingida, mas sim triste, só isso!

Tenha um bom feriado,

Anónimo disse...

Tenho para mim que normalmente todos os invejosos são gananciosos.Basta ver no actual quadro político...antes de ser já eram.
São como a pescada.Têm de o ser à força.Coisas da vida!
Distância deles é o que urge fazer.Nem dormem de noite a pensar nas maldades que hão-de fazer de dia.Safa!
Teresa